segunda-feira, 16 de março de 2009

Estar “com” a Dor


Quando começamos praticar meditação, podemos bem pensar que não temos nenhuma escolha sobre como experimentamos o sofrimento. Podemos ter algum problema no nosso passado ou na nossa situação actual que parece que só pode ser compreendido como uma dor rígida— uma história abusiva por parte da família, um casamento tortuoso, adversidades económicas, um acto hediondo feito a nós, uma criança incapacitada cuja aflição nos quebra o coração. Mas se nos dermos à possibilidade investigar o nosso sofrimento mais profundamente, descobriremos que estar "com" a nossa dor pode levar à sabedoria e à felicidade. O acontecimento ou as circunstâncias não perdem por si só o seu desagrado ou sua qualidade infeliz, mas ao passar por elas conscientemente chegamos a um estado da mente pacífico e luminoso.

2 comentários:

Francisco Libânio disse...

Estava procurando uma imagem para um poema em meu blogue, Poesias em dia, e achei a que eu precisava aqui. Devidamente creditada, resolvi conhecer seu blogue e adorei. Está linkado entre os meus melhores.

Namaste

Inês disse...

Obrigado Francisco. Há algum tempo que não escrevo aqui. E agora fiquei admirada por ter um comentário. Vou tentar por pôr mais em dia este blog.

Namaste Inês